28 abril 2008

A necessidade da moldura...

"Um sujeito entra na estação do metrô. Vestindo jeans, camiseta e boné, encosta-se próximo à entrada, tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo. Durante os mais de 40 minutos em que tocou, foi praticamente ignorado pelos transeuntes.
O sujeito era o músico Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo... O violino era um instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares. Alguns dias antes Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custam 1000 dólares.
O vídeo mostra homens e mulheres apressados e indiferentes ao som do violino. A iniciativa realizada pelo jornal The Washington Post era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte.
Muitos de nós estamos acostumados a dar valor às coisas conforme o contexto. Bell era uma obra de arte sem moldura, num lugar comum. Um "artefato" de altíssimo luxo e valor, mas sem uma etiqueta de grife à mostra.
A música é a Chacone em ré menor para violino solo e foi composta por Johanes Sebastian Bach "

5 comentários:

Paulandre disse...

sensacional este post...tapa na cara de todos nós.

Papagaio Mudo disse...

Oi Lucia,

Sou o Gustavo, amigo da Ane, sua aluna no Uni.
Tenho acompanhado o grupo e agora acompanharei o seu blog, aliás, bem interessante.
Também sou blogueiro. Se tiver um tempo passa lá pra dar uma olhada na minha estética.
Abraços.

>¨<

Lucia Santiago disse...

Olá Paulo,
Faço minhas as suas palavras...
As molduras estão em todos os lugares em todas as coisas, em todas as pessoas de um jeito ou de outro...
Será que é só a loucura do mundo moderno que nos cega os sentidos?
Ou o homem se tornou ao longo do tempo superficial demais?!
Um abraço,
LS

Lucia Santiago disse...

Olá Gustavo,
Venha sempre visitar o blog...
É um prazer ter visitas interessantes e mande o endereço do seu blog...
Um abraço,
LS

Anônimo disse...

Ei Lúcia! Adorei te encontrar e também sua "visita" no blog! Vamos ver se a gente não some de novo..beijos!